(23/11/2014) – A Trumpf está comemorando a comercialização de sua 1500ª máquina no mercado brasileiro. A empresa chega a esta marca apenas três anos após ter alcançado a marca de 1.000 máquinas instaladas no País. As primeiras 500 máquinas foram comercializadas com 25 anos de presença no Brasil, número que dobrou ao completar 30 anos.

A 1500ª máquina foi adquirida pela Grob do Brasil. Trata-se de um modelo TruMatic 7000, top de linha das máquinas combinadas da Trumpf e a primeira no mercado brasileiro equipada com sistema de automação e armazenamento de matéria-prima. Na configuração adquirida pela Grob, é composta de uma máquina de corte a laser de CO² com 4 kW de potência e puncionadeira dotada de matriz ativa, que aumenta a capacidade de conformação da chapa.

A máquina é integrada a um sistema SheetMaster de carga de matéria-prima, descarga e separação de peças acabadas, e ao GripMaster para retirada de esqueletos da mesa. Conta ainda com sistema Stopa que se incumbe de armazenar mais de 1000 toneladas de chapas, distribuindo-as por suas 372 gavetas. O projeto é inédito no Brasil e pode ser ampliado, integrando outra máquina laser e dobradeira. “É o maior sistema automatizado da Trumpf no Brasil”, informa João C. Visetti, diretor-presidente da Trumpf Brasil, acrescentando que o consumo de máquinas combinadas vem aumentando no Brasil, com expectativa de crescimento de 15% a 30% nos próximos três anos.

“A Trumpf do Brasil passou por ampla reorganização a partir de 2011, quando iniciou um período de mudanças de gestão, de métodos e processos para alinhar a operação ao padrão mundial e deixá-la mais competitiva”, explica Visetti. “Criamos uma estratégia especial para ampliar a participação de mercado com as máquinas de entrada e fizemos a regionalização da assistência técnica, agilizando o atendimento ao cliente. Temos hoje uma operação muito mais eficiente”.

O Brasil representa 2% dos negócios globais do Grupo, com faturamento de € 53 milhões no exercício fiscal encerrado em 30 de junho de 2014. Para Visetti, o desafio de crescimento do país pode ser traduzido em oportunidades para a companhia. “O Brasil tem grandes obstáculos a vencer, principalmente ligados a infraestrutura nas áreas de portos, aeroportos, geração, transmissão e distribuição de energia, rodovias e ferrovias entre outras. Para tudo isso é necessário o uso de chapas metálicas processadas”.