A área de atuação é importante, mas o que irá mesmo determinar qual feira é mais adequada para a empresa é o seu objetivo comercial ou institucional.

As feiras de negócios são excelentes opções para empresas que querem divulgar ou vender seus produtos e serviços. Mas, é preciso avaliar o resultado que se deseja alcançar para definir em qual feira é melhor investir. “É fundamental avaliar se o objetivo comercial ou institucional está alinhado com a proposta do evento. E para que isso aconteça, é necessário analisar o perfil da feira, público, local e histórico do evento ou organizadores”, afirma Fernanda Skraba, diretora comercial da Mark Messe.

De acordo com a diretora de marketing da Mark Messe, Fernanda Skraba, primeiro é preciso entender que existem basicamente três tipos de feiras de negócios: as técnicas, as populares e as semi-técnicas. As técnicas têm as indústrias como principais expositoras e são caracterizadas pelos negócios business to business, ou seja, entre empresas. “As feiras populares são voltadas para vendas ao consumidor final e, normalmente, os lojistas são os principais expositores. Já as semi-técnicas, menos frequentes, mesclam ambas as situações”, aponta.

A área de atuação é importante, mas o que irá mesmo determinar qual feira é mais adequada para a empresa é o seu objetivo comercial ou institucional. Fatores como condições financeiras, capacidade de produção, rede de distribuição, entre outros, também devem ser considerados na hora de fazer a escolha. “Por exemplo, se a empresa tem capacidade para atender a várias praças simultaneamente, poderá participar de várias feiras regionais com o objetivo de entrar nesses mercados. Agora, se ela está com a produção toda comprometida e não tem condições logísticas de expansão, deverá analisar se vale ou não a pena participar de feiras”, ensina Fernanda Skraba.