Ao buscar um imóvel em Curitiba, encontra-se inevitavelmente uma boa quantidade de opções no norte da cidade. Mas nem sempre foi assim. A região, que esteve por muito tempo fora dos principais radares do setor imobiliário, passou a ser incluída no rol das grandes apostas, com destaque para os bairros Boa Vista, Bacacheri e Santa Cândida.

De acordo com o Perfil Imobiliário, o maior estoque de imóveis está nessa região. Até setembro deste ano, 19% do total à venda na cidade estava localizado na região, ou 2.245 unidades disponíveis.
Na avaliação de Fabio Tadeu Araújo, sócio da (Brain) Bureau de Inteligência Corporativa, durante o período de auge imobiliário da cidade, entre 2008 e 2010, a zona sul recebeu um maior número de empreendimentos, com o norte ficando em segundo plano. “É um mercado com grande potencial que está começando a se desenvolver agora”, afirma. Para Araújo, o grande número de terrenos disponíveis e a possibilidade da conclusão da Linha Verde Norte possibilitaram o aumento de investimentos. Além disso, a instalação de outros pontos de comércio devem estimular a região, como o Shopping Atuba, que contará com 204 lojas e deve ser entregue em 2017.

A Vanguard, marca da construtora e incorporadora Plaenge voltada à classe C, foi uma das primeiras a explorar a região em 2008, com a construção do Garden Sevilla. E continou aumentando a aposta a ponto de hoje contar com mais três empreendimentos em fase de entrega ou em obras: Le Parc, no Bacacheri, Piazza Maggiore, no Pilarzinho e o Piazza San Marco, no Tingui. Alvaro Coelho, gerente regional da Vanguard, afirma que a oferta de novos imóveis aumentou muito nos últimos anos, mas acredita que ainda há demanda para novos empreendimentos. “A região norte ainda tem um bom espaço para crescer, já que possui terrenos bons a preços razoáveis”, afirma.

De acordo com Felipe Sebben, gerente regional da construtora PDG, o crescimento de Curitiba encontrou barreiras nas regiões sul e oeste devido aos limites naturais da cidade – com os Rios Iguaçu e Passaúna – e acabou se expandindo ao leste e ao norte. Isso acabou permitindo o rápido desenvolvimento de Almirante Tamandaré e Colombo e refletiu na capital. “Muitos moradores da Região Metropolitana querem vir para Curitiba e utilizam como porta de entrada a região norte, que apresenta apartamentos mais econômicos”, diz. Ele acredita que a região ainda apresenta bom potencial imobiliário. “Ainda tem um bom volume de terrenos a ser explorado”, afirma. A construtora tem em fase de vendas um empreendimento com 657 unidades, no bairro Atuba, chamado de Village Paraná.

Para os próximos anos, porém, Araújo prevê uma estagnação na oferta, exceto na região da Linha Verde. “Quando for finalizada, ela voltará a atrair novos empreendimentos. Na zona norte mais tradicional, na região do Boa Vista, a tendência é que o estoque seja consumido e haja menor oferta”, diz.

Fonte: Gazeta do Povo

Feira de Imóveis do Paraná 2015. O maior evento do setor imobiliário do Paraná. Saiba mais em contato@markmesse.com.br ou 41-3521-6226.